Translate

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

CUIDADO COM AS REDES SOCIAIS


Muitas informações são compartilhadas todos os dias através das redes sociais; quer sejam elas comentários, vídeos ou fotos.
Mas será que podemos confiar nestas informações? 
Até que ponto as redes sociais têm sido usadas de forma proveitosa? 
Lazer, interação ou calunia e difamação?


No dia 27.08.2014 um usuário do "Facebook" publicou o seguinte post:



O usuário em questão, Sr. W. F. da S.; que se intitula "HOMEM DO TEMPO"; publica em sua linha do tempo do "Facebook" diversas fotos de teor informativo; sempre primando pelo sensacionalismo.
Neste caso, não se tem a informação de onde este usuário obteve a imagem, mas a mesma anteriormente a esta data, já havia juntamente com outras imagens divulgadas em outras redes sociais; feito menção ao mesmo caso. Estas imagens foram causadoras de um transtorno de proporções elevadas, já que por conta destas afirmações; geraram-se várias histórias que, em um determinado caso acabou envolvendo o nome de uma instituição de ensino.
O Centro Educacional La Salle Manaus, com mais de 30 anos de história e tradição na educação e que atende estudantes da Educação Infantil à partir dos 2 anos de idade até o Ensino Médio. Localizado no bairro D. Pedro I, zona centro-oeste de Manaus. 
O Centro Educacional se viu obrigado a expedir nota de esclarecimento, buscando assim a total reparação dos boatos gerados e prevenindo danos de ordem disciplinar, social e econômica.
Segue abaixo a nota:

Comunicado de esclarecimento

Manaus, 25 de agosto de 2014.
Prezados senhores pais ou responsáveis:
Desde a última sexta-feira, tem circulado em algumas redes sociais fotos de uma mulher em supostas cenas de pedofilia com crianças e pré-adolescentes, identificada pelo autor do post como “professora do La Salle”. Isso vem alarmando muitos dos senhores, que têm recorrido à escola em busca de esclarecimentos.
Para tranquilizá-los, gostaríamos de esclarecer que a pessoa que aparece nas fotos não é, nem foi professora, funcionária ou estagiária desta instituição. Nem ela, nem os menores envolvidos nas fotos são conhecidos ou foram identificados pelos nossos educadores.
O post afirma que a pessoa em questão já estaria presa. Se tal fato fosse verdade, isso teria sido veiculado pelos meios de comunicação de nossa cidade, em função da gravidade das imagens, o que não ocorreu. Destaca-se ainda a forma errada da grafia do nome de nossa instituição (“lassales”).
Aos seus conhecidos e amigos que os procurarem para saber desses fatos, pedimos a gentileza de esclarecer-lhes sobre a falsidade da notícia. O Centro Educacional La Salle está tomando as providências judiciais cabíveis contra os autores do post.
 Contamos com o seu apoio.
 Atenciosamente,
 Centro Educacional La Salle
 http://lasalle.edu.br/
"Devemos nos atentar ao fato que, no post publicado na rede social, a descrição é de que seria uma professora da rede Estadual, sendo a Instituição particular".
Um caso que pode ter sido influenciado por tais publicações e informações foi uma acusação à uma professora da rede pública, que foi matéria do jornal eletrônico "A crítica" no dia 18.09.2014.
A matéria trazia a informação de que, após ser acusada de exibir filmes pornográficos e de aliciar  15 crianças de oito a 10 anos, a professora Lauricélma P. da Silva, que está sendo investigada pela Delegacia Especializada na Proteção de Crianças e Adolescentes (Deapca), alegou injustiça e classificou as acusações feitas por moradores da Vila Santa Terezinha, São Geraldo, Zona Oeste, como mentirosas.
"Quem me acusou, agora vai ter que provar”, afirma.
Segundo Celma, como é conhecida, as acusações foram motivadas por uma disputa interna pela presidência da associação comunitária e pela posse do prédio denominado Castelinho, onde ela ministra as aulas de reforço escolar. “Há dois meses começou essa briga. Recebi uma carta da moça que se diz presidente da comunidade pedindo a devolução do prédio. Fiz um boletim de ocorrência e no outro dia meu nome estava estampado nos jornais”, disse.
A professora explicou que trabalha no local há sete anos e que nunca teve problemas com os moradores.
A dona de casa Cléia Nascimento disse tem uma filha estudando com Celma: “Minha filha nunca se queixou da D. Celma e olha que ela tem aulas de reforço no local há três anos”, disse.
Para Luciana Lucas, que é mãe de um dos alunos, as crianças que acusam a professora de aliciamento foram orientadas. “Acho que alguém ensinou as crianças a falar isso dela. Minha filha estuda aqui e nunca viu isso”, disse.
Agora, segue então a questão: será que podemos acreditar em tudo que lemos e vemos nas redes sociais?
Uma matéria que tem, sim, motivo de ser publicada; até para que seja colocado aos leitores o acompanhamento realizado pelo órgãos públicos competentes; se transforma em motivo de troca de postagens acusatórias com imagens de cunho pejorativo à instituições e cidadãos. Neste vaso; agravando-se mais ainda; por envolver menores de idade.
Façamos uma reflexão e procuremos sempre nos atentar ao histórico dos responsáveis pelas informações publicadas nas redes sociais. Percamos, sim, alguns minutos, pesquisando sobre as informações antes de sairmos divulgando-as como verdade.
Assim; ajudaremos o que está certo a continuar certo e obrigaremos o que está errado a deixar de existir.

OBS.: Para preservar a identidade dos menores citados na nota emitida pelo Centro Educacional La Salle Manaus, não serão disponibilizadas as fotos para visualização; independentemente do fato dos mesmos não serem alunos da instituição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário