Translate

segunda-feira, 10 de junho de 2013

IN...FELIZ DIA DOS NAMORADOS!?



O dia dos namorados está aí e com ele todas aquelas idéias de comemoração romântica..., quer seja em forma de um presente, ou de um jantar a dois, uma escapolidazinha para um lugar um pouco mais íntimo... Não importa; na cabeça de quase todo mundo passa algum pensamento relacionado a uma destas situações ou mais de uma delas. 
Infelizmente poucos são aqueles que se permitem pensar a respeito do que está se comemorando realmente. 
A maioria das pessoas ficam presas ao significado material, ao visual, aparente.
O rapaz que compra aquela jóia caríssima em suaves doze prestações, sem pesar se o que ele sente pela mocinha é realmente motivo de realizar tal investimento na relação. A moçoila que abre mão dos cuidados rotineiros e custosos como cabelo, tratamento estético ou dentário para agradar o marmanjão com um relógio ou óculos escuros novos, não levando em consideração se o sentimento por ele está no físico, na posição social aparente ou se o mesmo faz parte da realização do sonho de princesa de ser feliz ao lado de quem a protegerá e cuidará como ela merece.
Pior que outras datas comemorativas, o dia dos namorados talvez ainda seja, a data mais comercial e de menor importância  sentimental que exista. 
Nos dias das mães e dos pais explora-se veementemente o sentimento que devemos ter para com os nossos progenitores e o que se vê é um desespero nos dias que antecedem estas datas em busca de presentes que justifiquem um "provável" amor e agradecimento por tudo que recebemos deles em nossas vidas.
Testemunha-se no entanto, durante todo o resto do ano, desrespeito, afronta, descaso e uma enorme gama de atitudes negativas que, voluntária ou involuntariamente são praticadas junto a estes que deveriam receber toda forma de carinho e amor possíveis de serem expressados por suas "crias". 
Mas PAI e MÃE sempre serão PAI e MÃE, não importando o que aconteça. Por mais que acontecimentos interfiram no dia a dia com estes entes tão próximos; nada fará mudar o fato que são eles nossos progenitores, responsáveis por nossa vinda à vida. 
O que se fizer por eles nestas datas inventadas pelo comércio, não provocará  arrependimento, rancor, mágoa. 
Já o dia dos namorados é uma data mentirosa em que o "Garanhão" aparece com um presente, sabendo que vai agradar a menininha e pela imagem que este dia remete sairá de junto dela depois, acreditando ter feito sua parte e não dificilmente se jogará na farra com mais uma ou duas garotas para garantir a alegria da fama de pegador. Ou então a mocinha receberá o rapaz em casa cheia de mimos e com voz suave, agradando-o por acreditar na importância aparente da data depois de ter menosprezado por semanas as demonstrações de sentimento do mesmo.
Enfim, o dia dos namorados na minha humilde opinião é, foi e sempre será, uma mentira inventada por aqueles que têm em mente algum ganho individual.
Aos que quiserem fazer o teste, é simples: Não presenteiem seus pares no próximo dia 12 de junho, nem sequer desejem um feliz dia dos namorados. Tratem-nos de forma carinhosa, dando-lhes atenção e demonstrações de afeto da forma mais explícita possível. 
Se; e eu desejo que isso aconteça; nos dias que se seguirem, sua "alma gêmea"  compartilhar de seus sentimentos devolvendo-lhe tais demonstrações: sinta-se feliz e seguro que seu par é digno e merecedor de todo e qualquer investimento, seja ele financeiro ou sentimental, pois ainda que; " se um dia"; o relacionamento acabar, tudo aquilo que ambos viveram e dedicaram era real e despretensioso. Mas não abra mão de presentear a pessoa que ama, só não limite, demarque ou determine um dia apenas para isso.
Lembre-se que, quando se está com a pessoa que se ama, todos os dias são de comemoração e dentro da medida do possível, de presentear; quer seja com um bombom ou com um colar de pérolas; quer seja durante o período de namoro ou anos após o casamento quando ambos estiverem velhinhos e quase sem forças.


"AMOR É AMOR E SÓ PRECISA DE AMOR PARA SER DEMONSTRADO."

Nenhum comentário:

Postar um comentário