Translate

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O ENGOLIDOR NEGRO - TALVEZ O PEIXE MAIS GULOSO QUE EXISTA

Diga alô para o estranhíssimo Chiasmodon Niger (Black Swallower, em inglês) ou simplesmente Engolidor Negro.


Chiasmodon Niger, conhecido pelo nome de Grande Engolidor ou Engolidor Negro, é um peixe do género Chiasmodon da família Chiasmodontidae, com a particularidade notável de conseguir capturar e engolir.
O Engolidor Negro, Chiasmodon Niger, é uma espécie de peixes de águas profundas na família Chiasmodontidae, notável por sua capacidade de engolir peixes maiores do que seu próprio corpo. (por isso também é chamado de "Grande Engolidor").
Ele é comumente encontrado em águas tropicais e sub-tropicais, nas zonas mesopelágicas e batipelágicas a uma profundidade de 700 à 2.745 m (2.300 à 9.000 pés).
O Engolidor Negro é um peixe pequeno, com um comprimento máximo de 25 cm (10 pol). O corpo é alongado e comprimido, sem escamas, e sua cor é um marrom escuro uniforme. Sua cabeça é longa, com um focinho bruto , olhos de tamanho moderado e uma grande boca. A mandíbula se projeta além da parte superior; ambas as maxilas são revestidas com uma única linha de dentes depressíveis e afiados, que encravam quando a boca está fechada. Os três primeiros dentes de cada maxila são caninos ampliados.
Na parte inferior da coluna existe uma espécie de pré tampa. As barbatanas peitorais são longas, com 12 à 15, (geralmente 13), raios; as barbatanas pélvicas são pequenas e contêm cinco raios. Das duas barbatanas dorsais, a primeira é espinhosa com 10 à 12 espinhos, e a segunda é maior com uma espinha e 26 à 29 raios macios. A barbatana anal contém uma coluna e 26 à 29 raios macios. A barbatana caudal é bifurcada com 9 raios. A linha lateral é contínua com dois poros por segmento do corpo.


O Engolidor Negro se alimenta de peixes ósseos, que são engolidos inteiros. Com a seu estômago muito distensível é capaz de engolir uma presa com até 10 vezes a sua massa. As suas maxilas superiores se articulam à frente e para cima de seu crânio, permitindo que as mandíbulas estendam-se para baixo abocanhando objetos maiores do que sua cabeça. Theodore Gill especulou que o engolidor apreende suas presas pela cauda ​​e em seguida, "percorre" suas mandíbulas sobre a presa até que esteja totalmente enrolada no interior do estômago.



Engolidores Negros foram encontrados após terem engolido peixes extremamente grandes. Peixes esses que, não poderiam ser digeridos antes de sua decomposição, como consequência a liberação de gases forçou o Engolidor a subir  até a superfície do oceano; vindo assim a morrer. Em 2007, um Engolidor medindo 19 cm, (7,4 pol), de comprimento foi encontrado morto em Grand Cayman. Seu estômago continha uma Cavala Cobra, ( Gempylus serpens ), de 86 cm, (34 pol), de comprimento, ou quatro vezes o seu comprimento.
A reprodução é ovípara; os ovos são pelágicos e medem de 1,1 à 1,3 mm, (0,04 à 0,05 in), de diâmetro e contém uma gota de óleo clara e seis manchas pigmentadas escuras, que se tornam distribuídas ao longo das recém-eclodidas larvas na frente dos olhos para a ponta da notocorda . Essas manchas eventualmente desaparecem e o corpo escurece de maneira uniforme para preto. Os ovos são encontrados principalmente no inverno na costa da  África do Sul; Engolidores Negros jovens foram encontrados de abril a agosto nas Bermudas.
As larvas e os Engolidores mais jovens são cobertos por pequenas espículas, que se projectam.


Nenhum comentário:

Postar um comentário